(11) 3030 4500

Pedalar no calor traz uma série de desafios extras, como a desidratação, o cansaço excessivo por causa do clima quente e, consequentemente, a diminuição do desempenho. O verão oferece a possibilidade de praticar o ciclismo por mais tempo no dia a dia, principalmente nos Estados em que o relógio é adiantado por uma hora. Mas é preciso estar sempre em alerta.

Para se pedalar no calor é necessário ter uma boa preparação, estar muito atento à hidratação e outros fatores, como os cuidados com a pele por causa do sol e conhecer os seus próprios limites, uma vez que o forte calor terá um peso significante sobre as suas forças.

Veja abaixo dicas para pedalar no calor.

Pedalar no calor: ciclista pedala em uma estrada em um dia ensolarado

É preciso ter uma boa preparação para encarar as altas temperaturas

Hidratação para pedalar no calor

A hidratação é um fator fundamental para se pedalar no calor – e um dos maiores obstáculos. A água compõe mais de 50% do corpo humano, e é de extrema importância que o ciclista mantenha esse nível. Ao pedalar em temperaturas altas, você vai suar mais e perderá cada vez mais liquido. Se não estiver atento a isso, poderá ter sérios problemas.

“Hidrate-se antes mesmo de sair [de casa] e leve com você garrafas com liquido. Prefira bebidas com eletrólitos. Pesquise também lugares e vilas que estão no meio do caminho do seu pedal para que você possa encher as garrafas”, recomenda o canal GCN (Global Cycling Network).

Se for para um pedal longo, congele uma caramanhola para evitar que a água aqueça muito rapidamente e descubra, antes de sair de casa, onde você irá reabastecê-la no meio do caminho.

De acordo com o nutricionista Breno Sidoti, uma pessoa deve ingerir dois litros de água por dia. No caso do ciclista, se ele treinar por cerca de 3 horas, terá que repor aproximadamente 3 litros. Segundo ele, uma dica importante é não esperar sentir sede. Beba regularmente durante todo o percurso.

A cor da urina é um bom método para você ter noção do seu estado atual de hidratação. De acordo com a British Cycling, órgão de governo do ciclismo no Reino Unido, quanto mais escura, mais desidratado você está.

Pedalar no calor: formas de gotas mostram as cores da urina e seus significados

Cor da urina é um bom método para você ter noção do seu estado atual de hidratação (reprodução/British Cycling)

Roupas leves e cuidados com a pele

Há hoje uma enorme variedade de roupas feitas exclusivamente para ciclismo. Em um dia com temperatura elevada, dê preferência para materiais leves e que contenham propriedades de absorção que irão te ajudar a se refrescar e minimizar o desconfortável acúmulo de suor, como ressalta a revista “Cycling Weekly”.

Um zíper frontal na camiseta irá ajudá-lo a regular a temperatura, bem como é aconselhável usar luvas sem dedos, uma vez que as palmas das mãos suadas podem ficar doloridas ao segurar o guidão.

“Um par de shorts bem ajustado também é essencial, pois qualquer fricção em suas partes delicadas irritadas pelo suor pode causar uma dor desconfortável muito rapidamente. Aplicar um creme antes do pedal pode ajudar”, diz um artigo da “Cycling Weekly”.

Escolha sempre roupas e óculos que tenham proteção solar e use protetor na pele para evitar queimaduras. Usar um boné sob o capacete também é uma boa dica para se proteger do sol.

Manhã e noite

Evite pedalar nos horários mais quentes do dia, se livrando, assim, dos raios solares que podem fazer mal à sua saúde. Saia mais cedo de casa pela manhã – se for possível, antes mesmo do sol nascer, para aproveitar ao máximo o clima mais ameno.

Caso pedale após o trabalho, espere o sol baixar ou aproveite a noite. Nesse último caso, não esqueça de equipar a sua bicicleta com luzes.

Pedalar no calor: três ciclistas pedalam em uma estrada enquanto o sol se põe

Evite pedalar nos horários mais quentes do dia

Limite

É importante ter em mente que, em dias de muito calor, o seu rendimento não será o mesmo que um dia de clima ameno, nublado. Portanto, estabeleça um ritmo diferente, mais cadenciado. Saiba qual é o seu limite.

“Se você não estiver bem preparado, você vai parar no meio do caminho, sentirá câimbras, seu reflexo ficará descontrolado, pode cair. Você fica vulnerável”, disse Fábio Miyake, proprietário e treinador da Bushido Treinamento Esportivo, parceira da Bicicletaria Faria Lima.

“Muitos ficam no limite e pensam: ‘sou guerreiro’. Em uma curva, ele cai. Não vale a pena. Precisa sempre estar em boas condições. É importante saber quando você está muito cansado”, afirmou.

Saiba reconhecer os sinais de superaquecimento e insolação. De acordo com a GCN, os sintomas incluem náuseas, dores fortes de cabeça, alta frequência cardíaca, cólicas, fraqueza e tontura.