(11) 3030 4500
Cassio Cortes, do Acelerados, vai visitar a Itália de bicicleta com a Special Trip

Cassio Cortes, do Acelerados, vai visitar a Itália de bicicleta com a Special Trip

Cassio Cortes, apresentador e repórter do programa Acelerados, já começou a sua preparação para viajar em setembro para a “Terra dei Motori” (ou Motor Valley), uma das regiões mais famosas da Itália por sua íntima ligação com a engenharia de motores de alta performance.

A aventura de Cassio Cortes, porém, será um pouco diferente daquela que está acostumado em suas gravações para o Acelerados, que tem um canal no YouTube e passa aos domingos de manhã no SBT. Em vez do carro, ele vai visitar o Motor Valley de bicicleta.

Sim, Cassio Cortes vai pedalar uma 3R3 Aero, da Soul Cycles, fornecida pela Bicicletaria Faria Lima, em uma viagem organizada pela Special Trip, parceira da loja – você pode conferir mais aqui.

Cassio Cortes está sentado em sua bicicleta, a 3R3 Aero, da Soul Cycles, na loja, enquanto Igor Laguens tira as suas medidas para o bike fit

Cassio Cortes faz o bike fit com o acompanhamento de Igor Laguens

“Estamos indo para a ‘Terra dei Motori’ com a Special Trip. É um programa imperdível para quem é acelerado, para quem ama carro, para quem ama ciclismo”, disse Cassio Cortes.

“A gente vai explorar o Vale dos Motores da Itália, nas grandes marcas, como Ferrari e Lamborghini, num passeio ciclístico. Apesar que não vai ser bem um passeio, porque a gente vai puxar um pouquinho com as bikes de alta performance”, afirmou.

Uma superbicicleta na terra dos supermotores

Feita de carbono, a 3R3 Aero é uma bicicleta de estrada de alto rendimento, possui uma rigidez elevada e quadro aerodinâmico. Seus tubos são projetados para atingir grandes velocidades. A de Cassio Cortes vem equipada com rodas Mavic Aksium, componentes Controltech e câmbio Ultegra.

A bicicleta Soul 3R3 Aero, de Cassio Cortes, na loja da Bicicletaria Faria Lima

A Soul 3R3 Aero, do Cassio Cortes

Para se adaptar perfeitamente à bicicleta, o apresentador fez o bike fit com Igor Laguens, novo integrante da equipe da Bicicletaria Faria Lima e que atenderá na loja a todos que tenham interesse no serviço.

“Cara, estou muito feliz. Fiz um bike fit como eu nunca tinha feito. Parece que realmente a bike vestiu. Está é minha primeira bicicleta de carbono, então se a performance não melhorar, não vai ser por culpa da bike, vai ser por culpa do piloto [risos]”, afirmou.

Na Terra dei Motori, que fica na região da Emilia Romagna, no norte da Itália, Cassio Cortes e sua Soul Cycles vão se misturar a grandes marcas do automobilismo. Lá estão fábricas e museus de montadoras como Ferrari, Lamborghini, Maserati, Pagani e Ducati.

Foto da fachada do Museu Enzo Ferrari, no Motor Valley

Museu Enzo Ferrari, que fica no Motor Valley (divulgação)

Cassio Cortes conhece bem todas essas marcas, mas a bicicleta também está presente em sua vida há muito tempo.

“O meu pai fazia triatlo quando eu era bem novo, entre os 8 e 15 anos, então sempre tive uma bike speed em casa e sempre gostei de andar. Nunca fui um cara muito dedicado, no sentido de fazer provas, mas gosto de road bikes”, disse.

Cassio Cortes e a volta rápida

Antes de viajar para a Itália, Cassio Cortes terá outro desafio. Ele vai ocupar o lugar de Rubens Barrichello e gravar mais um “Volta Rápida”, quadro em que o piloto estabelece um ranking entre carros. Agora, porém, a história será um pouco diferente. Na vaga do automóvel entra a 3R3 Aero.

O desafio será no famoso autódromo Velo Città, localizado em Mogi Guaçu, que fica a cerca de 200 km de distância da capital paulista. A meta? Terminar o trajeto de 3.493 metros na casa de 4 minutos.

O circuito tem 14 curvas, 15 postos de sinalização e apresenta um desnível de 45 metros entre o ponto mais alto e o mais baixo da pista. O autódromo é homologado pela FIA (Fédération Internationale de l’Automobile) e pela CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo).

Imagem aérea do Velo Città

Imagem aérea do Velo Città (divulgação)

Modalidades de ciclismo: conheça as principais e descubra qual faz o seu estilo

Modalidades de ciclismo: conheça as principais e descubra qual faz o seu estilo

Você vai começar a pedalar, mas não conhece bem as modalidades de ciclismo? Essa situação é comum para quem está conhecendo somente agora o mundo das bicicletas. Cada ciclista possui um estilo próprio ou uma certa necessidade a ser atendida.

Há aqueles que gostam de ir para a estrada e pedalar por quilômetros e mais quilômetros. Há quem prefira pegar trilhas ou simplesmente goste de andar pela cidade em um momento de lazer. A seguir, mostramos as principais modalidades de ciclismo e ajudamos você a escolher a que mais faz o seu estilo.

Modalidades de ciclismo: Ciclista de triatlo pedala em uma estrada com uma bicicleta da BMC

As bicicletas de triatlo são bem refinadas, aerodinâmicas e tecnológicas

Modalidades de ciclismo: Estrada

O ciclismo de estrada é o mais tradicional. É nessa categoria em que acontecem os principais campeonatos, como o Tour de France, Giro d’Italia e Vuelta a España. São, em geral, dominados por ciclistas de países da Europa. Para praticar essa modalidade, é preciso muita resistência e técnica.

Lu Prado, que se divide entre o design e o ciclismo, se apaixonou pela estrada. Ela começou a treinar no fim de 2015. Desde então, já participou de provas importantes, como o L’Étape, na França, e o GFNY, em Nova York, nos Estados Unidos. No L’Étape Brasil, ficou na terceira colocação. Ela conta a importância da preparação para a prática dessa modalidade.

Modalidades de ciclismo: Lu Prado em uma bicicleta da Soul na estrada

Lu Prado se divide entre o design e o ciclismo

“Eu pratico triatlo também, mas gosto mesmo de estrada. Meu treinador diz que sou uma triatleta apaixonada pelo ciclismo. Eu pedalo umas quatro vezes por semana. Na terça, eu treino subida. Fazemos tiro e resistência. Na quarta e quinta faço ciclovia. No fim de semana, vou para a estrada. É um pedal mais longo. Um treino justamente voltado para a estrada”, afirmou Lu.

As bicicletas dessa modalidade possuem o selim mais alto que o guidão. Dessa forma, o ciclista fica numa posição bem inclinada. Elas são desenvolvidas com tecnologia de ponta. Possuem peças especiais, engenharia e aerodinâmica. Cada grama a menos conta para que a experiência de pedalar em longas distâncias seja a melhor. Esteja preparado para correr bastante.

Há vários tipos de provas (como por etapas, ultramaratona e contra o relógio) e de ciclistas. O escalador, por exemplo, é especialista em subidas, enquanto o velocista, também conhecido como sprinter, atinge grandes velocidades. As estratégias também são importantes para chegar em primeiro nas competições.

“Treinar subida é muito importante. Então, focamos bastante nisso nos treinos. Ganha-se força e resistência. Por outro lado, no triatlo, treina-se mais ciclovia, tempo em cima da bike”, afirmou.

Modalidades de ciclismo: Ciclistas praticam o ciclismo de estrada

É preciso resistência e técnica para praticar o ciclismo de estrada

Mountain bike

O MTB é a modalidade mais difundida no Brasil. Portanto, é fácil encontrar grupos de praticantes que podem te auxiliar no início. Nessa categoria, você pedala em estradas de terra, trilhas, montanhas e até mesmo em parques. As mountain bikes são preparadas para suportar os mais diversos terrenos.

“É uma modalidade mais democrática. Você consegue praticar em vários lugares, como trechos pavimentados ou não, trilhas e montanhas, podendo afrontar vários tipos de terrenos e estar presente em lugares isolados e distantes que acabam proporcionando uma experiência única”, disse o ciclista Henrique Avancini, em entrevista para o jornal mineiro “O Tempo”.

Essa modalidade exige coragem para encarar as descidas e subidas, seja de uma montanha ou de uma estrada de terra, e concentração. Precisa, além de tudo, gostar de aventura. A diversidade dos ambientes e o contato com a natureza são alguns dos principais pontos positivos da categoria. Lembre-se, porém, de manter uma boa manutenção da bicicleta, pois ela estará exposta a diferentes condições de terrenos.

Dentro do mountain bike há modalidades mais específicas, como o cross country (praticado em longos percursos), o downhill (consiste em descer um percurso o mais rápido possível) e o enduro (une as características do cross country e do downhill).

Ciclista salta um obstáculo com sua bicicleta no meio da mata

No mountain bike, você pedala em estradas de terra, trilhas, montanhas e até em parques

Triatlo

Entre todas as modalidades de ciclismo, o triatlo é a que vai bem mais além da bicicleta. Não basta apenas pedalar. É preciso correr e nadar. Portanto, preparação física é mais do que importante para atingir a máxima performance. Faz-se necessário muito treino para aguentar as extenuantes provas.

Apresentadora do canal Cantinho Leve, no Youtube, Gisela Saback está dando os seus primeiros passos no triatlo. Já corria, agora vai se preparar na natação e no pedal. Ela diz que deseja mostrar para as pessoas que essa categoria “não é um bicho de sete cabeças”.

Gisela Saback com uma bicicleta da Soul em um viaduto de São Paulo

Gisela Saback se prepara para praticar o triatlo

“Eu achava que vida de triatleta era impossível. Não é. Tem que dar os primeiros passos e respeitar os estágios. Ainda não tenho nenhuma prova em mente, quero ir de degrau a degrau, fazer tudo conforme o protocolo para não ter problema de lesão. O legal é mostrar que é possível”, disse ela.

“Você consegue conciliar uma vida agitada e ativa com o triatlo. Dizem que é um esporte individual, mas é bastante coletivo, porque tem gente para treinar junto, amigo do lado para acordar cedo. E a prova é uma coisa de superação total. Tem a questão do esforço, da evolução, você vai se conhecendo. É uma descoberta”, afirmou.

As bicicletas de triatlo são bem refinadas, aerodinâmicas e tecnológicas para alcançar o máximo desempenho. Os detalhes de cada peça importam. O corpo do ciclista fica ainda mais inclinado em comparação com quem pedala em estrada e é preciso ter um grande domínio da bicicleta.

Modalidades de ciclismo: Atleta sai da água para pegar a sua bicicleta BMC

É preciso ter um bom preparo físico para o triatlo

Urbana

Esta modalidade contempla aqueles que pedalam apenas por diversão na cidade, em alguns dias da semana, com família ou mesmo sozinho, e os que usam a bicicleta para se locomover em trechos urbanos, tanto para ir ao trabalho como à escola ou fazer outras coisas do dia a dia.

Nessa categoria, não é preciso ter um grande preparo, como acontece em outras modalidades de ciclismo, e possuir grandes técnicas. O negócio, aqui, é aproveitar a bicicleta para recreação e manter uma boa qualidade de vida. Além de prazeroso, é saudável. As bikes são confortáveis e algumas delas possuem para-lamas, buzina e bagageiro.

Modalidades de ciclismo: Ciclista pedala por uma ciclovia em São Paulo

Modalidade urbana contempla quem pedala por diversão e para se locomover pela cidade

Selim ideal para bicicleta: Veja cinco dicas para escolher o melhor para você

Selim ideal para bicicleta: Veja cinco dicas para escolher o melhor para você

Uma das perguntas que mais ouvimos em nossa loja é sobre qual o selim ideal. Seja você um ciclista profissional ou amador, esse tema terá sempre uma importância valiosa durante as suas pedaladas, pois usar um inadequado poderá fazer com que a sua experiência não seja positiva.

A escolha não é fácil. É, antes de tudo, uma opção muito pessoal. Varia drasticamente de um ciclista para outro e é determinado por uma série de fatores, como modalidade, sexo, diferenças anatômicas, entre outros.

Há muitas variáveis que influenciam no conforto do selim. Vai do tamanho ao formato, do posicionamento à altura e até a flexibilidade do ciclista. Com um selim fora do seu padrão ou montado de forma errada, o ciclista pode sofrer com dores em diversas partes do corpo, como na lombar, no quadril e no joelho.

“As duas coisas mais importantes quando você vai comprar um selim é ver o tamanho correto e escolher um para a modalidade que você vai praticar”, disse Jeff Kerkove, chefe de marketing e experiência do cliente na Ergon, em entrevista para o site da revista norte-americana Bicycling.

Selim ideal para bicicleta de estrada, preto e vazado, da Controltech, visto por cima e de lado

Selim Falcon, da Controltech, feito para bicicleta de estrada

Veja a seguir cinco dicas para escolher o selim ideal para você pedalar.

1: Formato e tamanho do selim ideal

Há, hoje em dia, uma grande variedade de formatos de selim no mercado. Quanto mais vertical for a sua posição de pedalar, é indicado um selim mais curvo e almofadado, como ressalta a revista britânica Cycling Weekly. Se você pedalar de forma mais agressiva, é melhor optar por um selim estreito e plano.

Sobre o tamanho, o selim deve ser em torno de 2 cm mais largo em relação aos ísquios, ossos que ficam na zona inferior da pélvis e que apoiam o corpo enquanto sentado.

2: Selim por modalidade

Para cada modalidade há um tipo de selim mais indicado. E isso deve ser respeitado. O usado em situações como da prova Paris-Roubaix, por exemplo, é bem diferente daqueles indicados para lazer.

  • Bicicleta urbana: Tendo em mente que o percurso será relativamente curto e não será necessário impor uma grande velocidade, recomenda-se selins mais macios ou com amortecedores e uma ponta mais curta para proporcionar um maior conforto. Sua posição bem vertical na bicicleta indica que grande parte do seu peso estará diretamente no selim.
  • Bicicleta de estrada: Normalmente, os selins têm formato em V e são mais lisos e estreitos, para evitar atrito com a parte interior das coxas e permitir que o ciclista faça movimentos por completo.
  • Mountain bike: Geralmente, um selim dessa modalidade possui uma camada de preenchimento acima, seja de gel, espuma ou outro material, para garantir um bom conforto. Os selins têm uma forma semelhante: estreita na frente e mais larga na parte de trás. São feitos, normalmente, de materiais mais duráveis. Há quem prefira os vazados, desenvolvidos para reduzir a pressão nas veias e nos nervos mais sensíveis.
  • Triatlo: Os triatletas passam muito tempo pedalando na ponta do selim, em uma posição bem horizontal. Por isso, geralmente, preferem um estreito, plano e com “nariz” longo.
Selim ideal para triatlo feito pela Fizik, em preto e branco, com nome da marca nos dois lados

Selim para triatlo feito pela Fizik

3: Acolchoado não significa que é o selim ideal

Muitas pessoas podem achar que quanto mais acolchoado o selim, mais confortável será. Porém, nem sempre é bem assim. É importante ressaltar que profissionais que pedalam muitas horas por dia geralmente usam selim de carbono, com um couro sintético bem fino.

Isso porque se você pedalar por muito tempo, o selim acolchoado começa a se deformar, o que pode causar desconforto e dores. É importante ficar atento se o seu selim acolchoado já não está deformado.

4: Mulheres e homens têm necessidades diferentes

Muitas pessoas podem não saber, mas, sim, existem diferenças entre o selim feminino e masculino. As mulheres têm quadril mais largo e os ísquios são mais distantes em comparação com os homens. Com isso, os selins para mulheres geralmente são mais largos e possuem uma ponta mais curta.

Selim preto da Selle Royal, feito para mulheres, com detalhe em bege no meio

Selim desenvolvido pela Selle Royal para mulheres

5: Bike Fit para chegar ao selim ideal

Um selim que é ótimo para uma pessoa, pode não ser bom para você. Depende de características anatômicas e funcionais, modalidade e do seu posicionamento na bicicleta.

“Todo corpo é diferente. Tudo se resume a montar o selim para o seu tipo de pilotagem”, afirmou Kerkove para a Bicycle.

O Bike Fit, serviço oferecido pela Bicicletaria Faria Lima, foi desenvolvido para ajustar o modelo ideal de bicicleta. Do quadro ao selim, o Bike Fit realiza testes com tecnologia de primeira linha e profissionais especializados no assunto.

Bike Fit exposto na loja da Bicicletaria Faria Lima

O Bike Fit realiza testes para chegar ao modelo ideal de bicicleta, incluindo o selim